Como vovó dizia – a sabedoria popular dos provérbios

Índice Alfabético C

Cá e lá, má fadas há
Cabeça vazia é oficina do diabo
Cabelo branco é sinal de besteira
Cabelo ruim é igual a bandido… Ou está preso, ou está armado
Cabelos grisalhos são sinal de idade e não de sabedoria
Caboclo de Taubaté, cavalo pangaré e mulher que mija em pé, libera-nos, Dominé!
Cabra manca desce ladeira
Cabra quando não salta, berra
Cabra ruim não dá leite
Cachaça tira juízo, mas dá coragem
Cachaça, mulher e bolacha em toda parte se acha
Cachorro amarrado não caça
Cachorro bão nunca late em vão
Cachorro bom de latir morre de cobra
Cachorro bom de tatu morre de cobra
Cachorro bom de tatu, morre de cobra
Cachorro cotó não passa em pinguela
Cachorro cotó não passa pinguela
Cachorro de cozinha e moça que anda sozinha não faz fiança pra ninguém
Cachorro de cozinha não quer colega
Cachorro de raça sai à raça
Cachorro de raça, caça
Cachorro é amigo do homem porque não conhece o dinheiro
Cachorro é que vai à festa sem ser convidado
Cachorro mordido por cobra tem medo de lingüiça
Cachorro mordido, todo mundo morde
Cachorro mordido, todos mordem
Cachorro não cheira flor, mas cheira o cu do outro
Cachorro picado de cobra tem medo de lingüiça
Cachorro quando tem medo não late

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | by AF themes.