Jangada Brasil, a cara e a alma brasileiras
Edição do Mês | Edições Especiais | Edições Anteriores | Tema do Mês | Temas Anteriores | Por Autor | Por Artigo | Por Seção |
Sumário
Boi
Gado bagual
Na fala da gente
Provérbios
Cavalo
O cavalo
O cavalo na zona açucareira
Na fala da gente
Provérbios
Cachorro
Cachorro e cão
Ainda o cachorro
O cão na literatura popular
Porque o cão uiva
Na fala da gente
Provérbios
Gato
O gato
Gatos 1 | 2 | 3
A tradição supersticiosa do gato
Nossos irmãos, os gatos no folclore e na realidade
Na fala da gente
Provérbios
Cabra e Bode
Bodes, cabras e cabritos
Caprinocultura
Leite de cabra e outros remédios
Na fala da gente
Provérbios
Galo e Galinha
A galinha
Galinha que canta como galo
O galo
Na fala da gente
Provérbios
Porco
Na fala da gente
Provérbios
Coelho
Na fala da gente
Provérbios

 

Apoio Cultural
Simplicitate Design

Veja como sua empresa pode apoiar a nossa iniciativa.

Março 2010 - Ano XII - nº 134

Edição Especial: O bicho vai pegar 2

O cavalo no adagiário

A cavalo curto, pensa largo, ferras baixo e terás montada
A cavalo dado não se abre a boca
A cavalo dado não se olha os dentes
A cavalo novo, cavaleiro velho
A cavalo roedor, cabresto curto
A justiça anda a pé e o crime a cavalo
A mula com afago, o cavalo com castigo
A soldado novo, cavalo velho
A vista do dono engorda o cavalo
Antes burro me leve, que cavalo me derrube
Antigamente o dono do cavalo andava na sela, hoje puxa pelo cabresto
Ao amigo e ao cavalo, nunca apertá-los
Aproveita enquanto o cavalo é alheio e o estribo é nosso
Arrenego do cavalo que se enfreia pelo rabo
As enfermidades vêm a cavalo e retiram-se a pé
As manhas do cavalo só o dono conhece
Bom dia se dá até a cavalo
Caboclo de Taubaté, cavalo pangaré e mulher que mija em pé, libera-nos, Dominé!
Caminhante cansado monta em asno se não tem cavalo
Casco rachado, cavalo gordo
Cavalo alazão deixa o dono com o estribo na mão
Cavalo alazão escuro carrega o dono seguro
Cavalo alazão, antes morto do que cansado
Cavalo alazão, carga no chão
Cavalo alazão, freio no braço e sela na mão
Cavalo alazão, ou muito bom ou muito ladrão
Cavalo alazão, todos o querem, poucos o dão
Cavalo alheio não cansa
Cavalo alugado não cansa
Cavalo amarrado também come
Cavalo argel traz desgraça para si e para o dono
Cavalo bagual põe os mansos a perder
Cavalo bom de picado não faz dois rastros
Cavalo bom e homem valente se conhecem na chegada
Cavalo bom é o que cerca o boi na hora
Cavalo bom não perde a marcha, nem topa
Cavalo bom não quer espora
Cavalo cabano e paraibano, tira-se um por engano
Cavalo cacete não atravessa água
Cavalo calçado, dono apeado
Cavalo careta vê alma de noite
Cavalo carregado de açúcar, até o rabo é doce
Cavalo castanho-escuro pisa muito mole ou muito duro
Cavalo castanho-escuro pisa no mole e no duro e traz o dono no seguro
Cavalo conhece quem é bom de rédea
Cavalo corredor, cabresto curto
Cavalo dado se recebe com um sorriso
Cavalo de cachaceiro conhece o caminho da bodega
Cavalo de campo não bebe água de balde
Cavalo de campo não come pasto cortado
Cavalo de dois pêlos, nem tê-los, nem mantê-los
Cavalo de lote, égua de magote
Cavalo de mão branca não manca
Cavalo de olho de porco, cachorro calado e homem de fala fina, cuidado com a relancina
Cavalo de pasto não quer estrebaria
Cavalo do rico é amarrado na sombra
Cavalo é como gente, engana que é uma barbaridade
Cavalo esperto gosta é de urumbeva
Cavalo formoso, potro sarnoso
Cavalo fouveiro deixa o dono no terreiro
Cavalo gázio sarará, nunca prestou nem prestará
Cavalo grande, besta de pau
Cavalo manso é que derruba cavaleiro
Cavalo manso também dá coice
Cavalo melado mela o dono e o encerado
Cavalo pampa só tem estampa
Cavalo peado não dá coice
Cavalo peado não salta valado
Cavalo pedrês para a carga Deus o fez
Cavalo pedrês, um vale três
Cavalo que não dá pra sela bota-se na cangalha
Cavalo que rincha é sinal de capim ou égua
Cavalo que tropica, mulher que fornica e homem que joga, tropicará, fornicará e jogará
Cavalo que voa não pede espora
Cavalo quem faz é o dono
Cavalo rachado, cavalo gordo
Cavalo rosilho cansa até comendo milho, mas quando o rosilho é prateado, anda dez léguas depois de cansado
Cavalo rosilho e mulher de beira de rio: nenhum dos dois têm brio
Cavalo rosilho, ou ditoso ou mofino
Cavalo ruço corre no mole e no duro
Cavalo ruço, doce no pulso
Cavalo ruim de sela é o que fecha a cancela
Cavalo russo montês, para carga Deus o fez
Cavalo russo pedrês, para carga Deus o fez
Cavalo selado só pasta uma vez
Cavalo velho com cangalha nova, pisada certa
Cavalo velho não pega andadura
Cavalo, feito; criado, por fazer
Coice de égua não faz mal a cavalo
De cavalo dado não se olha a idade
Desgraça de cavalo de sela é se emprestar a padre e a soldado
Doze galinhas e um galo comem que nem um cavalo
É melhor um jumento que me carregue, que um cavalo que me escoiceie
É no cavalo manso que todo mundo quer montar
É o freio e a espora que fazem um bom cavalo
Em cavalo ruim, até as éguas dão coice
Em comprar cavalo e escolher mulher, fecha os olhos e encomenda-te a Deus
Em tempo nevado, alho vale um cavalo
Enquanto houver cavalo, São Jorge não anda a pé
Filho só puxa o pai quando o pai é ladrão de cavalo
Hóspede, depois de três dias, cheira a cavalo morto
Má notícia sempre vem a cavalo
Mais corre a ventura, que cavalo ou mula
Mais perigoso do que cavalo na estrada é burro no volante
Malandro é o cavalo-marinho que se fingiu de peixe pra não puxar carroça
Manha de cavalo só o dono conhece
Morre o cavalo para o bem do urubu
Muito fraco é o carreirista que tem um cavalo só
Mulher de bom juízo, faca de bom corte, cavalo de boa boca, onça de bom peso
Mulher que foi, cavalo que há de ser, não me façam ver
Mulher, arma e cavalo de andar, nada de emprestar
Mulher, cavalo e cachorro bom de caça quem empresta nem para si presta
Não deve o cavaleiro andar mais do que o cavalo
Não se corta a perna de um cavalo por causa de um coice
Não se muda de cavalo no meio do banhado
Não se procura chifre em cabeça de cavalo
Nasce o cavalo para bem do urubu
No correr do cavalo é que se vê o cavaleiro
Notícia ruim chega a cavalo
Nunca aposte num cavalo só
O castigo vem a cavalo
O cavalo conhece a perna de quem o monta
O melhor cavalo já encheu barriga de urubu
O noivo vai a cavalo e o arrependimento na garupa
O olho do dono é que engorda o cavalo
O prazer vai à cavalo e leva a dor na garupa
Para cavalo comedor, cabresto curto
Para cavalo novo, cavalheiro velho
Para cavalo velho, capim novo
Para o homem viver sossegado, mulher feia e cavalo capado
Para quem monta cavalo esperto, toda lonjura é perto
Paulista de Taubaté, cavalo pangaré e mulher que mija em pé, libera-nos, Dominé
Perigo não é um cavalo na pista, é um burro na direção
Por mais que o asno queira ser cavalo, há de sempre ser asno
Por onde passa o boi passam o vaqueiro e o cavalo
Pra quem tem cavalo esperto, toda lonjura é perto
Praga de urubu só pega em cavalo magro
Puxado que só cavalo de matuto
Quem acha besta, não compra cavalo
Quem compra cavalo, compra cuidado
Quem conversa muito, dá bom-dia a cavalo
Quem gosta de relincho de cavalo é égua
Quem lubrifica as rodas da carruagem, ajuda o cavalo
Quem não montou em cavalo de pau quando criança, monta depois de velho
Quem não ouve conselho, esbarra como cavalo sem freio
Quem nasceu para burro nunca chega a cavalo
Quem nasceu para ser cavalo tem que morrer pastando
Quem passa a vida sem comer é o cavalo de São Jorge
Quem tem besta não compra cavalo
Rabo de cavalo é que cresce para baixo
Se não existisse cavalo, São Jorge andava a pé
Vaqueiro bom não gaba cavalo
Virtudes a pé, vícios a cavalo
Zebra sem listra é cavalo

Home | Revista | Catavento | Almanaque | Realejo | Downloads | Colaborações | Mapa do Site
Assine nosso boletim | Central dos Leitores | Expediente | Apoio Cultural
Jangada Brasil © 1998-2009. Todos os direitos reservados. | Fale Conosco | Termos e condições de uso