Jangada Brasil

Linguagem popular: Paraná

 

Expressões e frases feitas

Aí que a porca torce o rabo, com quantos paus  se faz uma canoa: o momento de enfrentar uma dificuldade.
Apagou o pito: sossegou
Arranjar sarna para se coçar: procurar contrariedades

Bateu com a língua nos dentes, soltou a língua: não guardou segredo

Cheio de prosa, de partes, de coisas, de pose, de dengues, de não-me-toques, de nó pelas costas, de nove-horas, de vento, de história, de titica de galinha: pessoa luxenta ou convencida
Com uma mão adiante e outra atrás: perder tudo

Ficar na moita: esperar em silêncio
Fez o diabo a quatro, armou um banzé, fez um fuzuê: brigou
Fogo de palha: inconstante

Garrou o mato: foi embora

Levou um sabão: foi repreendido

Metido a besta: convencido
Metido a sebo: intrometido
Mosca de cavalo: pessoa que incomoda
Mosca-morta, barata-tonta: parvo

Num abrir e fechar de olhos: num instante

Teimoso pra chuchu, pra burro, pra cachorro: muito teimoso
Tirar a coisa a limpo, por o ponto nos ii, deixar em pratos limpos: esclarecer
Vocabulário

Amolar: incomodar
Anca: quadril
Andeja:
 andarilha
Aparecido:
 fantasma
Apoitar:
 amarrar na poita, atracar
Avacalhar:
 desmoralizar

Baita ou bruta: muito grande
Basculhar:
 procurar
Bedelhar 
ou bisbilhotar: imiscuir-se na vida alheia
Boanoitou: anoiteceu
Boleiro: mentiroso
Bochuda:
 grávida

Cainho: sovina
Campeando:
 procurando
Canja:
 fácil
Carpir:
 capinar
Ciar:
 ter ciúmes

Desgarrado: perdido

Enjerizado: mal-humorado
Entendida: parteira
Entojado:
 convencido
Esquentado:
 irascível
Estrepou-se:
 saiu-se mal

Fiote: ânus

Gambito: perna fina
Ganja: atenção demasiada
Garrei:
 comecei
Guela
 ou grugumilo: garganta

Jaguara: ordinário
 hojinho: há pouco tempo
Jururu:
 triste

Lombo: costas

Macambúzio: triste
Mundeado:
 viajado

Pança: barriga
Paquera:
 intestinos
Perca:
 aborto
Pinchar:
 jogar
Pitoco:
 rabo curto
Prosa:
 convencido ou conversador

Recoluta: reunir o gado extraviado
Relar: ralar

Saído: confiado
Sapé:
 galhos secos do pinheiro
Sobejar:
 sobrar
Sura:
 sem rabo

Taimbé: precipício
Teatinando:
 vagando
Traste: coisa sem valor
Trelar:
 conversar
Tropicar: propeçar

Varou: atravessou
Volteada:
 pequeno passeio

 

(Roderjan, Roselys Vellozo, Folclore brasileiro: Paraná, Rio de Janeiro, Funarte, 1981, p.15-18)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.