Jangada Brasil

 

Linguagem popular Ceará

 

 

Arcaísmos fonéticos

Adonde: onde, aonde
Anrique: Enrique
Arriba: em cima
Botismo: batismo
Corenta: quarenta
Coresma: quaresma
Despois: depois
Entonce: então
Frecha: flecha
Fruita: fruta
Menhã: manhã
Prantá: plantar
Rezão: razão
Salvage: selvagem.
Samiá: semear
Somana: semana
Tromenta: tormenta
Vocabulário

À boca da noite: anoitecer
Agastar-se: zangar-se, por-se de mal
Agravar: agravar-se, ofender-se
Anojar-se: aborrecer-se, desgostar-se
Aparelhar: (corrompido de apariá) com as acepções de preparar, aprontar
Arear-se: perder o rumo, atarantar-se
Assistir: morar algum tempo, residir

Baiacu: indivíduo baixo e grosso
Beber fumo: fumar
Birrento: implicante, imprudente, agastado

Caipora: diz-se da pessoa desafortunada, azarada
Cobrar: adquirir, recuperar
Correr com alguém: expulsar, perseguir
Couce: retarguada, parte posterior

Dar de graça: dar grátis ou sem interesse comercial
De primeiro: antes, antigamente

Estruir: desperdiçar, gastar superfluamente
Ficar tiririca: equivale a fizar irritado, muito zangado

Gambá: beberrão
Guabiru: ladrão

Jiqui: estreito, apertado, diz-se em geral das vestes

Meizinha: remédio, matéria, pus

Nação: casta, espécie
Nambi: troncho da orelha

Obra de: cerca de, aproximadamente
Obrigação: pessoa de casa, familiares

Pamonha: moleirão, covarde
Peita: suborno, dádiva para subornar
Perna de cambito: perna fina, descarnada
Perereca: indivíduo de pequena estatura
Peroba: indivíduo maçante, e também pessoa resistente
Por amor de: por causa de
Preá: indivíduo que toma parte em divertimentos sem fazer despesas
Puba: fermentada; Mandioca puba

Reinar: fazer travessura, sentir, maldoso impulso

Sarará: saruê ou grauça, mulato alourado ou indivíduo albino
Sentir as costas quentes: sentir-se protegido, ter um forte amparo
Sustância, sustança: força, resistência física

Tacha: defeito, mancha, nódoa
Tenção: intenção
Ter mão: parar, suspender (ação ou gesto) e esperar, tomar cautela
Expressões

Aqui não está quem falou
Enquanto o diabo esfrega um olho
Botar as manguinhas de fora
Fazer ouvidos de mercador
Mais vale um gosto do que quatro vinténs
Pagar o pato
Meter os pés pelas mãos

Contribuição indígena

Coisas e objetos de uso popular
Aracambus, arapuca, caçuá, atapu, coivara, cumbuca, coité ou cuité, embiricica, jirau, jacá, ipu, landuá, manzuá, mimbura, mondé, sernambi, tabatinga, taboca, tapera, tapiti, tanaçu, pinamaba, puça, pucumã ou picumã, poita, quicé, quixó, saçanga, samburá, tipóia, uru, urupema.
Cheiros desagradáveis
Inhaca, pituim, pixé.
Comidas e bebidas
Beiju, carimã, chibé, crueira, mocororó, paçoca, pamonha, pipoca, tapioca.
Doenças
Caruara, catapora, curuba, jererê, juçara, papoca, pereba, sapiranga.
Denominações tópicas
Biboca, brocotó, caatinga, capoeira, ipueira, perau, tijuco, toca.
Nomes do uso corrente, aplicados a pessoas
Babaquara, panema, jururu, tabaréu, xará, pixaim, pubo, cumbuco.

 

 

(Seraine, Florival, Folclore brasileiro: Ceará, Rio de Janeiro, Funarte, 1978, p.11-13)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.