Jangada Brasil – março 2003 – nº 55 – Colher de Pau -Mocotó é o barato!

MOCOTÓ É O BARATO!

 

 

 

Mocotó pode ser planta, ou alimento, isto é, patas de animais bovinos devidamente preparadas, um dos pratos tradicionais da cozinha brasileira.

Seu sucesso agora é cantado em música de Jorge Ben, que agradou a brasileiros e estrangeiros e hoje à noite será um dos pontos altos desse festival patropi. Agora, lá fora além da feijoada, batidas, vatapá, o mocotó será um dos nossos embaixadores culinários.

É o prato que se recomenda comer no fins de semana, ou quando o tempo para degustá-lo durante e depois seja grande, pois é um prato pesado. Não é muito fácil encontrar mocotó nos açougues, pois seu consumo ainda é reduzido. Atualmente com a coisa de carne, encontra-se o mocotó por Cr$ 2,50 a Cr$ 3,00 a perna, preço que era mais baixo até bem pouco tempo. Por isso vê-se que além de ser barato é realmente um prato barato.

Para acompanhar a “mocotozada”, indispensável é a boa batida, de preferência de limão e bem forte, ou então, a cerveja tinindo de gelada.

Aqui vão algumas receitas da pesada para você preparar o seu mocotó.

Mocotó pernambucano

Limpe os mocotós e lave-os muito bem até que fiquem bem clarinhos. Cozinhe-os em panela de pressão até que fiquem bem macios, temperados com hortelã, louro, cebolinha, sal, tomates inteiros sem pele, salsa, cebolas, e um pedaço de bacon. Na hora de servir, retire o mocotó para a travessa e com o caldo faça um pirão mexido no fogo, com farinha de mandioca acompanhada de salsa e agrião.

Mocotó maranhense

O mocotó maranhense leva 2 pés de vitela e dois de porco. Cebolas, azeitonas, cheiro-verde, 3 tomates, espinafre, agrião, duas gemas e 1 colher de sopa de maionese.

Tempere o mocotó e cozinhe em panela de pressão. Quando estiver macio, retire dos ossos e pique em quadrados. Deixe o caldo reduzir pela metade e engrosse com as gemas, e junte a carne picada. Enfeite o prato com tomates recheados de espinafre refogado e cobertos com maionese e azeitona intercalados com agrião temperado com molho de salada. Sirva com arroz branco.

Gelado de mocotó

Cozinhe o mocotó e coe o caldo, deixando-o concentrar o mais possível. Junte fatias de língua cozida, azeitonas sem caroço, pedacinhos de presunto e toucinho defumado. Tempere com sal, cebola ralada e pimenta. Misture tudo e ponha numa forma para gelar. Sirva frio com salada de alface.

Sopa de mocotó

Para sopa é necessário 2 mocotós, 1 kg de músculo, ½ kg de presunto, 2 cenouras, 3 aipos, 3 maças, cebola, 10 cravos do reino, 4 pedaços de canela em pau, 20 gramas de erva doce, sal e pimenta. Cozinhe os mocotós até que se desmanchem. Passe numa peneira até coar toda a massa. Leve novamente ao fogo até que fique na consistência de melado. Retire do fogo e bata bastante. Despeje num pirex e deixe gelar, bastante tempo na geladeira. Corte em quadrados. Quando quiser usar, tire alguns quadrados e leve ao fogo com água até ferver e ficar na consistência de sopa. Sirva com torradas. É muito aconselhável, principalmente às crianças, pelo seu poder nutritivo.

Gelatina de mocotó

Limpe o mocotó e cozinhe em panela de pressão em dois litros d’água. Quando estiver macio coe o caldo num guardanapo, até reduzi-lo a 5 copos. Junte 1 folha de louro, cheiro verde e sal. Junte quatro claras batidas em neve e passe novamente numa peneira ou guardanapo. Veja o sal. Quando estiver quase frio, unte uma forma com azeite e coloque com 1 camada na geladeira. Deixe gelar e coloque uma camada de ovos cozidos em rodela e outra de geléia de mocotó. Quando gelar coloque uma camada de carne moída bem refogada em pedacinhos de picles, azeitonas e um cálice de vinho branco. Sobre a carne outra camada de geléia e assim alternando até o fim. Quando estiver bem gelado vire a fôrma sobre uma travessa forrada de alface. Enfeite os lados com tomates, ovos cozidos e salsa picada.

Para acompanhar a “mocotozada” simples, um pirão caprichado: colocar numa panela 2 litros de água, 1 dente de alho picado e sal, além de duas conchas cheias de caldo de mocotó. Deixar ferver, e acrescentar então um quilo e meio de farinha de mandioca crua, dissolvida em água fria, para não embolar. Mexe-se bem até conseguir a consistência desejada. Essa receita é para muitas pessoas. Para menores quantidades, diminui-se a medida de farinha.

(“Mocotó é o barato!” Correio da Manhã. Rio de Janeiro, 25/26 de outubro de 1970)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.