Retornar para CancioneiroRetornar para Cancioneiro

Ir para a página principal

 

A vaca misteriosa que falou profetizando

José Costa Leite

O Santo Anjo da Guarda
Vive sempre me ajudando
Jesus, Maria e José
Permitiram eu ir rimando
Com rima melodiosa
A Vaca Misteriosa
Que falou profetizando

Reside em Minas Gerais
A viúva dona Noca
Possui uma bela vaca
Que é chamada Maroca
Gorda, possante e nutrida
E é até parecida
Com a vaca da Mococa

Agora recentemente
Dona Noca se levantou
Foi tirar leite na vaca
Quando se aproximou
Pra espanto de dona Noca
A bela vaca Maroca
Por esta forma falou:

- Estamos no fim dos tempos
Só falta chegar a hora
Cada vez mais se aproxima
Está perto e não demora
Por causa da
corrução
Só haverá confusão
Ninguém espere melhora

Do jeito que o povo vai
Não tem jeito que dê jeito
A vergonha teve fim
Afugentou-se o respeito
Morreu a honestidade
E o caminho da verdade
Vai ficando mais estreito

A metade do pessoal
Só gosta do cabaré
Jogo, dinheiro e cachaça
Rela-bucho, arrasta-pé
Do jeito que o povo vai
Brevemente tudo cai
No abismo e não dar fé

Três quartos do povo vive
Envolvido no pecado
Abraçando o Satanás
E deixando Deus amado
O povo vai nesse jogo
Brevemente pega fogo
Neste mundo desgraçado

Quem tem o coração mau
Não alcançará perdão
Porém muitos pedem a Deus
Numa mistificação
Ficando de goela rouca
Com o nome de Deus na boca
E Satanás no coração

Jamais terá salvação
Quem tem o coração ruim
Está escrito na Bíblia
Porque Jesus disse assim:
- Grande escolha haverá
Porque ninguém chegará
o Pai, senão por mim

Poucos se lembram do nome
De Jesus
onipotente
Por isto vem o castigo
Pra toda classe de gente
A colheita fica
peca
Num ano perde com seca
E no outro com enchente

Tem gente hoje que vive
Com uma tábua na cara
Faz tudo e diz que é católico
E nessa fé se ampara
Não ver o tempo correr
Mas é cego quem não ver
Por uma cerca de vara

Do jeito que o povo faz
Nunca pode vir melhora
O tempo está apertando
E está chegando a hora
Só se ver epidemia
Guerra, fome e
carestia
E a seca é quem mais devora

O tempo piorou mais
Depois que a saia encurtou
Acabou-se a produção
Até inverno faltou
O pobre sofre amargura
E nunca mais viu fartura
Somente a fome aumentou

Quando o vestido era grande
E tinha mais um babado
Se plantava um litro de milho
E secava no roçado
O pobre vive em agonia
Planta uma cuia hoje em dia
E não dar pra comer assado

A mulher faz um vestido
Com metro e meio de pano
Pra mostrar a coxa grossa
Afirmo e não me engano
Devido a tanta orgia
Haja guerra e carestia
Fome e seca todo ano

Antigamente a mulher
Só fazia um vestido
Com quatro metros de pano
Hoje é tudo corrompido
Ela faz com metro e meio
Mostrando a coxa e o seio
E diz que ficou comprido

Se aparecer-se uma lei
Para a mulher andar nua
Mais da metade ficava
Dando
pinote na rua
Umas dizendo: Me leva
Outras em traje de Eva
Na praça, em noite de lua

Se eu estiver mentindo
Jesus me castigue agora
Na praia vê-se a mocinha
Com o maiô tora não tora
Curto ligado e estreito
Só cobre o bico do peito
Deixando o bolão de fora

O mundo está desgraçado
Por causa da corrução
Se não houvesse a polícia
Não havia divisão
Era tudo sem reserva
As moças em traje de Eva
E os homens em traje de Adão

Quem foi que já viu feijão
Dar o preço que tem dado?
Está tudo diferente
E o tempo está mudado
Em toda face da terra
Peste, fome, seca e guerra
Só é o que tem chegado

Nunca se viu corrução
Como estamos vendo agora
Todo mundo se prepare
Que está chegando a hora
Da grande destruição
Todos peçam proteção
A Deus e Nossa Senhora

E devido a corrução
Que só se ver agonia
Ninguém quer saber de Deus
E nem da Virgem Maria
Só se fala em
catimbó
Mulher, cachaça e forró
Moda, dito e anarquia

A moça mostrar a coxa
Hoje em dia é brincadeira
Os seios e os suvacos
Vê se no meio da feiura
O casaco mostra o seio
E a saia é palmo e meio
Oh! Meu Deus! Que
bandalheira!

O velhinho diz assim:
-
Findou-se o tempo da paz
Mas o malandro responde:
- O tempo está bom demais
Diabo leva quem não gosta
Quanto mais a mulher mostra
Mas o homem que ver mais

Pai de família que deixa
A sua filha ir pra dança
Morrendo vai pro inferno
Sua alma não descansa
Moça que vive dançando
Já está se condenando
E o Satanás avança

O jogador sofrerá
Um castigo nunca visto
Quem ganha no jogo, ganha
O amor do Anti-Cristo
Fica num lugar sem luz
E quem perde, perde a cruz
De Nosso Senhor Jesus Cristo

No Antigo Testamento
Falou o profeta Elias
Jonas, Naum e Ageu
Joel, Amós, Abdias
Ezequiel e Baruc
Com o profeta Habacuc
Oséias e Malaquias

Estes grandes profetas
Todo ele era capaz
De predizer o futuro
Com bases fundamentais
Estamos vendo hoje em dia
O que cada um dizia
Há muitos anos atrás

Estamos vendo agora
Os clamores dos clamores
Nosso Senhor do Bonfim
Defendei-me dos horrores
Jesus Maria e José
São Francisco do Canindé
E Nossa Senhora das Dores

O Santo Anjo da Guarda
E a Virgem da Conceição
Pai, Filho e Espírito Santo
São Cosme e São Damião
São Jorge forte guerreiro
O padre do Juazeiro
E também frei Damião

Estamos no fim da era
Diz o profeta Isaías
O padre Cícero Romão
E o profeta Jeremias
O anjo São Rafael
O profeta Daniel
E o profeta Zacarias

Quem pode dar proteção
É a Santa Virgem Maria
E Deus Pai todo poderoso
Que a tudo governa e cria
Jesus, espírito divino
Que é quem dar o ensino
Da santa sabedoria

Vamos rogar a Jesus
Que conduziu o
madeiro
Pedir proteção a Deus
E rezar o dia inteiro
Pra Jesus, Maria e José
Que a chama vive da fé
Só morre por derradeiro

A vaca misteriosa
Já esteve no Ceará
Maranhão e Piauí
Amazonas e Paraná
São Paulo e Minas Gerais
Espírito Santo e Goiás
Rio, Bahia e Pará

Onde se chega com ela
Causa admiração
Todo mundo quer ouvir
Ela fazer pregação
Quem odeia o Satanás
E ama a Deus Pai dos Pais
Reze esta oração:

Oração do padre Cícero

Jesus Cristo é quem me guia me recomendo a Deus e à Virgem Maria, nossa mãe e os doze apóstolos meus irmãos, andarei dias e noites protegido e amparado pelo padre Cícero Romão, Nossa Senhora das Dores, Nossa Senhora de Fátima e a Virgem da Conceição, guiarão os meus passos. Terei a proteção dos anjos São Miguel, São Rafael e São Gabriel. Serei envolvido no Manto da Virgem Santíssima. Serei bento no altar de Nosso Senhor do Bonfim, entre o calix bento e a hóstia consagrada. Serei banhado no sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo. Jesus Maria e José e o Divino Espírito Santo defenderão minh’alma.

Andarei sempre amparado e circulando com as armas de S. de São Jorge, não serei preso nem ferido pelos meus inimigos, nem meu sangue será derramado, andarei livre de todos os inimigos visíveis e invisíveis, carnais e espirituais, como meu Jesus Cristo andou nove meses no ventre da Virgem Maria. Amém.

Reza-se três Padre-Nossos, três Ave-Marias e três Glória ao Pai e oferece-se a Nosso Senhor Jesus e a Nossa Senhora das Dores.


(LESSA, Orígenes; SILVA, Vera Lúcia de Luna e. O cordel e os desmantelos do mundo)

 

 

Capa do folheto A Vaca Misteriosa que Falou Profetizando, de José Costa Leite.

Cancioneiro

Folhinha | Festança | Imaginário | Oficina | Palhoça | Colher de Pau | Panacéia | Catavento | Almanaque
Candeeiro | Mural | Expediente
| Busca | Outras Edições